terça-feira, dezembro 31, 2013

Termina...

... hoje mais um ano. Muitas são as retrospectivas que são feitas durante estes dias. Uma revisão do que passou. O que foi bom, o que foi mau. O que queremos repetir e aquilo que queremos que nunca mais volte a acontecer. Todos temos anos bons e temos anos maus. Os 365 dias que se vão sucedendo nas nossas vidas trazem-nos sorrisos e lágrimas, certezas e incertezas, vêem partir pessoas e chegar outras, novos e velhos projectos, objectivos e sonhos concretizados e por concretizar.

E o meu ano de 2013 não foi excepção...

Para ser sincera, este ano que hoje termina não foi propriamente o melhor dos últimos tempos. Por diferentes razões, houve alguma tristeza, menos sorrisos do que o habitual e alguns sonhos e desejos ficam por concretizar neste ano que hoje se encerra. Se no início de cada ano, costumo delinear alguns objectivos que quero ver alcançados... Sinceramente... Este ano... Sinto-me algo melancólica para o poder fazer...

Aquilo que desejo para 2014 é que seja um ano de renovação... Renovação aos mais diversos níveis. Pessoal e profissional. Apenas isto. Quero ver-me evoluir nas diferentes vertentes do meu ser porque existe um momento a que todos inevitavelmente chegamos em que concluímos que temos vontade que tudo seja de outra forma. E este é o momento...

Que este novo ano que amanhã se inicia me traga muitas coisas boas, muitos sorrisos e muitas conquistas. Para mim e para as minhas pessoas porque elas são o mais importante da vida!

A todos os que me lêem (infelizmente, nos últimos tempos não tem sido tanto quanto isso... Em 2014 seja, de certeza, diferente!), desejo um excelente ano de 2014 carregado de muita energia positiva e de muitas conquistas!!!!!

Natal...

... uma época em que gostamos de partilhar bons momentos e, acima de tudo, em que gostamos de regressar aos sítios de que gostamos, em que já fomos felizes e em que nos sentimos de coração mais quentinho.

Este Natal não foi uma excepção a esta tradição. Sabe bem voltar a locais em que somos bem recebidos e em que o sorriso é uma constante. Como Natal que se preze pede um rumo ao sul, mais concretamente a Évora, para mais um Natal passado com o aroma do Alentejo a confortar o coração. O local escolhido foi, mais uma vez, o M'Ar de Ar Muralhas, um hotel que fica a dois passos da praça do Giraldo e onde, podem ter a certeza, de que irão ser muito bem recebidos!



O M'Ar de Ar é um dos dois hotéis da mesma cadeia existentes em Évora (o outro é o M'Ar de Ar Aqueduto onde poderão desfrutar, entre outras coisas, do Spa e do SushiBar. Para mais informações podem consultar aqui a página na Internet e no Facebook). Fica mesmo junto às muralhas de Évora numa localização bem simpática, de muito fácil acesso a quem chega a Évora, e que convida ao descanso. Sabem aqueles locais em que nos sentimos um bocadinho da família, em que se pergunta se tudo correu bem nos últimos tempos? Pois é... É assim neste local e sabe muito bem estes pequenos mimos!

É um hotel com uma decoração cuidada, sempre que o Alentejo bem presente, acolhedor e com muitos recantos a pedirem para serem descobertos...

Detalhes da decoração de Natal

Pormenores da zona exterior que deve ser absolutamente deliciosa numa tarde de Verão...

O Alentejo sempre presente, como não pode deixar de ser!

A zona do jardim... Ai piscina, piscina... Tenho de te visitar no Verão!

As mesas do pequeno-almoço... Só para abrir o apetite!

É um local cuja visita aconselho verdadeiramente!!! 

M'Ar de Ar Muralhas... We will meet soon!!!

quarta-feira, dezembro 25, 2013

Mais...

... um Natal quase passado. Mais uma quadra de partilha, família e sorrisos que está quase a terminar para dar lugar à retrospectiva, a definição de novos objectivos e o reinventar de sonhos para o novo ano.
É assim o mês de Dezembro... Recheado de azáfama, pensamentos condensados e correrias para estar com todos aqueles de quem mais gostamos.
Ainda que seja quase o fim do Dia de Natal, não poderia deixar de passar por aqui para desejar a todos os leitores deste cantinho um excelente Natal!!!

quarta-feira, dezembro 18, 2013

Vida...

... de adulto não é fácil. Quando somos crianças, ninguém nos diz que sermos adultos vai ser difícil. Dizem-nos para sonhar... Para perseguirmos aquilo que desejamos ser quando formos grandes... Para fazermos os trabalhos de casa, sermos meninos bem comportados e brincar nos tempos livres. Mas ser adulto é difícil...

Fui uma criança feliz. Muitas horas de brincadeira, muitos Verões passados no meu querido Alentejo, muita roupa suja de brincar na terra e ser uma criança dividida entre o campo e a cidade. Foram-me deixando alimentar as minhas paixões, como o Ballet que dancei durante mais de 11 anos, e foram-me deixando sonhar com a concretização dos meus desejos quando fosse grande.

E o dia de ser grande chegou. E não é fácil sê-lo. Não é fácil ter sonhos e não os conseguir concretizar por causa de terceiras pessoas. Não é fácil ter projectos e não conseguir fazê-los chegar a bom porto porque existem pessoas que vão colocando entrave atrás de entrave. Custa chegar o dia de ser grande e não poder efectivamente sê-lo por parecer que continuo a ser criança a quem as decisões parecem não dizer respeito.

E isto custa... Oh se custa...

sexta-feira, dezembro 13, 2013

A...

... Saudade de escrever por aqui é mais do que muita...

... Mas o tempo para isso tem sido tão pouco...

domingo, dezembro 01, 2013

O...

... destino tem muitas ironias e esta é apenas mais uma...


Morreu, na noite de sábado, vítima de um acidente de automóvel que ia a alta velocidade, o actor Paul Walker. O famoso polícia da série de filmes "Velocidade Furiosa", apaixonado por velocidades e por automóveis de alta cilindrada, dono de uma oficina especializada neste tipo de automóveis. Veio a morrer consequência de um despiste de um carro conduzido a alta velocidade.

O destino tem destas coisas...

RIP Paul Walker

Estado...


... em que se encontra Miss Fiona: muitos lenços de papel, mantinhas quentinhas, chá com mel e pastilhas para a garganta para ver se a voz regressa rapidamente!

sábado, novembro 30, 2013

Espelho...

... meu, espelho meu... Diz-me de quantos "eus" sou eu feita?

Ora aqui está uma questão muito interessante e à qual, provavelmente, muitos de nós, não dedica a devida atenção. Andamos nas nossas vidas de formiguinhas trabalhadoras e, muitas vezes, penso que não dedicamos o devido tempo a pensarmos em nós. A fazer alguma análise sobre as nossas posturas, atitudes e decisões e, se calhar, era algo que deveríamos introduzir na nossa rotina diária. Tipo como tomar banho, lavar os dentes e mudar de roupa, percebem? Não vos digo agora para meditarem todos os dias sobre a vossas vidas mas ganhem (e reparem na utilização da palavra "ganhar") alguns minutos do vosso dia a pensarem na vossa forma de existir, de estar e de conviver com quem vos rodeia...

Todos temos diferentes "eus" que aparecem e são mostrados consoante os acontecimentos ou os nossos interlocutores. O ser humano tem uma capacidade de adaptação e de se moldar aos acontecimentos extraordinária e sempre surpreendente. Eu própria aqui me confesso: Miss Fiona tem muitos e diversificados "eus"! Atenção: psicólogos e psiquiatrias que se possam dedicar à leitura deste cantinho à beira-mar da blogosfera plantado... Não tenho nada de personalidades múltiplas nem coisa que se pareça. São apenas vertentes de uma mesma personalidade e que gosto de cultivar, umas mais secretamente do que outras. Existe a Fiona mega romântica que gosta de ver o pôr-do-sol entrelaçada num abraço e de beber chocolate quente em Portobello Road. Existe a Fiona desportista que adora correr e o desporto em geral e que, juntamente com outros dois companheiros de ténis gastos com contagem de quilómetros, alimenta o Corre mais rápido com as suas divagações sobre o mundo da corrida e os desejos sobre provas de sonho. Existe a Fiona profissional que como que se transfigura para se adaptar ao mundo peculiar em que se move e em que, todos os dias, é colocada à prova nas mais diversas situações. Existe a Fiona apaixonada por roupas, sapatos e maquilhagem e gosta de divagar pelo mundo das novidades e de experimentar, experimentar, experimentar! Existe a Fiona apaixonada por livros que tem uma mini-biblioteca em casa com os mais variados títulos dos mais variados domínios do conhecimento. Existe a Fiona apaixonada por séries de época (como os meus queridos Tudors) e por séries e filmes que envolvam a exploração da mente de serial killers (como as Mentes Criminosas ou os filmes do Hannibal Lecter). Esta sou e muito mais!

E vocês? Já perguntaram ao vosso espelho quantos "eus" têm hoje?

sexta-feira, novembro 29, 2013

Nos...

... bancos de escola muita teoria se aprende de como deve ser feita uma boa gestão do capital humano de uma organização. As teorias e ferramentas que nos são passadas para aplicação na gestão de recursos humanos nem sempre são aplicadas da melhor forma na verdadeira realidade do mercado de trabalho. Tudo o que se relacione com gerir pessoas, os seus anseios e as suas vontades é demasiado complicado de gerir pois, na maior parte dos casos, o que acaba por prevalecer são os interesses de outros mais acima e o desejo final da organização. Compreendo que a gestão de pessoas deva reunir duas partes fulcrais: os interesses da organização e os interesses das pessoas. Porque colocar pessoas desmotivadas numa determina função é meio caminho andando para que, tanto a pessoa em causa como a organização, percam e muito a curto ou médio prazo. A produtividade vai ser bastante reduzida, a vontade de ir trabalhar vai reduzir a níveis incomportáveis de dia para dia e as relações laborais vão tender sempre a piorar, nunca o contrário. Não será muito mais importante permitir às pessoas que apliquem as competências que tenham vindo a ganhar com o tempo em funções que podem vir a ser muito mais úteis do que aprisioná-las em outras que nada têm a ver com aquilo que pretendem fazer, funções que apenas vão servir para cristalizar a pessoa na organizar, fazê-la desmotivar, desvalorizar e perder a vontade de contribuir em pleno para os objectivos da organização? 

Se existem responsáveis pela gestão de pessoas numa organização, essa gestão deve recorrer ao máximo a todas as ferramentas que tem ao seu dispor e tentar encontrar o equilíbrio entre os desejos das pessoas e os da organização. Apenas assim se terá colaboradores produtivos. Apenas assim se terá uma organização que se consiga demarcar das demais pela positiva por considerar uma mais-valia valorizar os seus recursos humanos.

E fico tão triste que à minha volta não seja assim...

terça-feira, novembro 26, 2013

Nos...

... muitos livros que vou lendo ao longo do ano, costumo encontrar frases que me fazer pensar, que me fazem meditar sobre o mundo que me rodeia e as pessoas com que me vou cruzando na minha vida. Estou, neste momento, a ler um livro sobre Alpoim Calvão, o militar da Marinha Portuguesa mais condecorado de todos os tempos. E o primeiro capítulo deste livro inicia-se com uma interessante frase e que transcrevo de seguida.

"Como a partir desta via entras no mundo, como homem, confio que a tua conduta futura na vida fará de ti um oficial e um cavalheiro. Lembra-te que deves ser um marinheiro para ser um oficial e, também, não poderás ser um bom oficial sem seres um cavalheiro." 
Lord Horatio Nelson

Ao ler esta frase não pude deixar de olhar à minha volta... De observar as pessoas com quem me cruzo todos os dias e com quem já me cruzei. E esta frase não poderia ter maior fundo de verdade. Não é a farda ou o fato caro que vestimos todos os dias que nos faz melhores ou piores do que ninguém. O hábito nunca fez o monge e não são galões ou roupas caras que nos fazem ser pessoas mais capazes. É preciso muito mais do que isso. É preciso ter uma essência que nos torna coerentes em todas as acções e em todas as palavras. É preciso ter uma forma de estar que deve vir ao de cima com amigos e com inimigos, nas boas e nas más situações. É preciso ter uma personalidade que não se deixa corromper nem se sobrepõe a quem está à volta. E a educação é o motor que conduz e que nos faz demarcar-nos da multidão. Que nos faz ser diferentes em cada instante... E era exactamente a isto que Lord Nelson se referia... "não poderás ser um bom oficial sem seres um cavalheiro". Porque vê-se nas mais pequenas coisas do dia-a-dia e não em situações especiais. Porque isto vê-se em cada palavra que é dirigida a quem está acima mas, principalmente, a quem está abaixo na hierarquia.

E, felizmente, tenho três bons exemplos que sigo e que são o meu padrão em cada gesto dos meus dias... Porque existem oficiais e cavalheiros que nos marcam e que impõem a si próprios elevados padrões todos os dias, constituindo-se como alguém que vale a pena admirar!

sábado, novembro 23, 2013

E...


... este é o último título terminado cá por casa. Vale, sem dúvida, bem a pena. Fiona aconselha!

quinta-feira, novembro 21, 2013

Muitas...

... vezes, olhamos à nossa volta, e chegamos à conclusão de que temos as nossas coisas um bocadinho em estado caótico. A vida de formiguinhas atarefadas durante a semana e a necessidade, mais do que premente, de descansar aos fins-de-semana (e fazer algumas tarefas mais demoradas que deixamos para esta fase da semana) faz com que outras tantas tarefas sejam deixadas para segundo plano, para serem tratadas em fases de mais tempo livre, por exemplo, quando estamos de férias. Mas isto não poderia ser mais contraproducente ou mais indesejável... As férias são exactamente isso: férias! E o tempo que se lhes refere deve ser dedicado exactamente ao que está na essência das férias: o descanso! Óbvio que fazer algo deste género pode ser considerado como totalmente utópico na sociedade de hoje. A vida é feita em modo corre-corre. As solicitações a nível profissional e pessoal são mais do que muitas e isso faz com que o tempo livre seja muito reduzido para nos dedicarmos a organizar a nossa vida, a nossa casa, os nossos objectivos a médio ou longo prazo...

Tento ser, em todos os campos em que tenho responsabilidade, o mais organizada possível. Faço uso diário da agenda proporcionada pela Google em que também tenho adicionada a conta do e-mail do trabalho (ainda que queiramos, não nos conseguimos desligar totalmente do trabalho quando, muitas vezes, temos solicitações também ao fim-de-semana, nada pode falhar!). Mas quando estamos a fazer a gestão do nosso tempo, será que estamos a aproveitá-lo mesmo da melhor forma? No outro dia estava a ler um interessante post da Thais do Vida Organizada em que esta blogger brasileira apresentava uma lista de 9 coisas que poderíamos introduzir no nosso dia-a-dia para sermos pessoas mais organizadas e conseguirmos tirar melhor partido dos nosso dias. Actividades tão simples como organizar a agenda, actualizar os nossos perfis em redes sociais profissionais (o networking é cada vez mais importante, acreditem!) ou organizar a nossa gestão doméstica podem fazer verdadeiras maravilhas nos nossos dias e ajudar-nos a concentrar naquilo que é verdadeiramente importante e a termos mais tempo livre para nós. Aqui fica a sugestão: leiam este post sobre as nove actividades de organização que nos podem ajudar a fazer a diferença! 

Depois...

... de passar dois dias inteiros junto de pessoas que há uns bons anos atrás se sentaram nos mesmos bancos de escola, apenas posso chegar a uma conclusão: que existem vivências que nos tornam pessoas únicas e que, mesmo passando tantos anos, seremos sempre os mesmos jovens e teremos as mesmas gargalhadas. 

segunda-feira, novembro 18, 2013

Todos...

... temos os nossos objectivos para as nossas vidas. A nível profissional, a nível pessoal, a nível familiar. Todos temos aquele ponto a que queremos chegar e esforçamo-nos mais ou menos para conseguirmos. Isso depende de cada um. Mas quanto de nós nos sentamos, ponderamos os nossos objectivos e escolhemos o melhor caminho para lá chegarmos? Eu, tal como todas as pessoas que me rodeiam, tenho sonhos que gostava de ver concretizados. A curto, médio e longo prazo. Tenho desejos e vontades que gostava de ver concretizadas para aumentar ainda mais os motivos que tenho para sorrir. Porque que todos merecemos ser felizes e chegar lá. Mas chegar lá de forma coerente, de forma ética e sempre sem passar por cima de ninguém. Sim, porque não quero pensar na forma de conseguir o que quero imaginando logo que será a qualquer custo. Isso não se põe em cima da mesa. Eu bem sei que podem não acreditar mas... Existem valores e princípios que não sacrifico para lá chegar, para ir mais longe e conseguir o que quero. Porque acho que, acima de tudo, devemos ser o máximo possível coerentes e sinceros connosco próprios. Antes de pensarmos em quem nos rodeia, deve ser a imagem que temos de nós próprios que deve ser o mais fidedigna possível.

Tenho pensado muito naquilo que quero e naquilo que desejo... E sim, vou chegar lá!

domingo, novembro 17, 2013

quarta-feira, novembro 13, 2013

É...

... apenas de mim que sou esquisita e coisa tal... Ou a maior parte das saias e calções que a Zara e afins têm à venda tendem a não as que ficam melhor em corpos de cintura mais estreita e anca mais larga? Ou seja... Em corpos cujas formas são mais de mulher e em que saias que são meros quadrados não vão ficar bem nem por nada??

Ou estou a ficar muito exigente nos modelos que escolho... Ou tenho um corpo muito esquisito... Ou a Zara apenas vende quadrados de tecido a que chama saias e calções...

terça-feira, novembro 12, 2013

Assisti...

... no fim-de-semana, a uma reportagem sobre o militar da GNR que foi condenado a nove anos de prisão por homicídio de uma criança que viajava numa carrinha em fuga conduzida pelo seu pai após a ocorrência de um furto. Segundo o que foi descrito na reconstituição feita na reportagem, o militar da GNR que viajava no carro em perseguição à carrinha com o assaltante terá visto um vulto dentro da carrinha e terá disparado, primeiro para o ar e depois na direcção da viatura, tendo vindo a atingir mortalmente a criança que viajava no seu interior. Ao fim de cinco anos deste acontecimento, este militar veio a ser condenado a nove anos de prisão efectiva bem como ao pagamento de 80 mil euros de indemnização (60 mil à mãe da criança e 20 mil ao pai... o assaltante). Foi também dito, nesta reportagem, que o referido militar mostrou sempre alguma arrogância durante todo o julgamento, demonstrando considerar que o fez foi o correcto e que não teve culpa de assassinar a criança que o pai havia levado na carrinha para um assalto... Foi referido também que este militar já foi alvo de um processo disciplinar...

Não quero, com este post, de forma alguma emitir juízos de valor nem dizer que o militar tem ou não razão, devia ou não ter sido absolvido... Não estou a querer defender ou culpabilizar ninguém mas... Apenas quero dizer que existem coisas que me fazem confusão. Como pais que, neste país, levam os seus filhos de forma totalmente negligente para o local onde vão cometer um crime e onde podem estar sujeitos a encontro com a polícia. Faz-me confusão que se vá indemnizar um pai que actuou de forma totalmente negligente, que andava a monte há cerca de oito anos, à data dos acontecimentos, após ter fugido da prisão onde estava. Faz-me confusão que se tenha que entregar dinheiro a uma pessoa que apenas se limitou a praticar mais um crime e que agora, ainda por cima, venha a receber dinheiro pela total irresponsabilidade que teve ao levar o seu filho consigo.

Este é um assunto demasiado sensível e de certeza que todos terão a sua opinião sobre ele. Se o militar deve ou não ser condenado, se agiu ou não bem no desempenho das suas funções... Enfim, uma imensidão de questões podem e estão a ser levantadas por muitos. Mas a sério que me faz confusão este tipo de justiça em que se entrega uma quantia avultada de dinheiro a alguém que praticou um crime com o filho sentado ao lado. Não estou a dizer, de forma alguma, que não lhe terá custado perder o seu filho. Mas apenas a sua irresponsabilidade é a culpada desta criança ter sido apanhada por uma bala num local onde não deveria estar... Se o militar de GNR agiu bem ou não... Isso é outra história... Mas ninguém deveria levar um filho para o local de um crime...

segunda-feira, novembro 11, 2013

Hoje...

... é o aniversário aqui da Miss Fiona... Mais um aninho que se soma ao calendário. Mais um aninho que passa pincelado com mais coisas boas do que más (felizmente!). Mais um novo ano de vida que se inicia com um sorriso nos lábios e com a certeza de que sou uma pessoa feliz...

Mas este post não é para escrever sobre mim... É para escrever sobre uma das pessoas mais importantes da minha vida e que, há anos atrás por esta altura, estava a sofrer bastante com o trabalho de parto. Uma pessoa que passou doze longas horas ligada ao soro para que eu viesse ao mundo num parto provocado antes do tempo com dia e hora marcada. Uma pessoa a quem tinha sido dada a certeza, de forma nua e crua, de que eu ou ela não iríamos sobreviver ao parto e que apenas uma (ou nenhuma) ficaria por cá... Cenário negro para o dia que deveria ser o mais feliz da vida de uma mulher... 

É por isso que te quero dar os parabéns, Mãe... Pela pessoa que sempre foste, que és e pela pessoa que fizeste de mim. Como todas as mães e filhas, também temos os nossos momentos de contradição mas acho que os momentos felizes se sobrepõem a todos esses e as alegrias mostram que os milagres acontecem mesmo quando o cenário que se antevê pode ser o mais negro. Obrigada, Mãe, por me teres trazido a este mundo e me teres sempre deixado sonhar com as asas de uma borboleta. Obrigada por sempre teres estado ao meu lado, nos bons e nos maus momentos, mostrando que a união com as nossas pessoas ajuda-nos a ultrapassar mesmo os obstáculos que parecem mais difíceis de transpor.

Muitos parabéns a ti e ao Pai neste dia...

Sabem...

M&M de chocolate negro e menta... Ou de como o céu pode vir sob a forma de pequenos botões verdes...


... o que consegue ser verdadeiramente delicioso num final de tarde que se quer bem docinho? Este pacotinho verde caído do céu. Absolutamente delicioso, aprovado e recomendado!

Diz...



... que hoje é o aniversário da Miss Fiona...

Happy birthday to me!!!!

domingo, novembro 10, 2013

Ainda...

... que eu esteja muito longe do estado de simplificação da vida da Rita do The Busy Woman and the Stripy Cat, confesso que gosto muito de ler o que por lá se escreve e tentar adaptar aquilo que faz sentid para a minha forma de estar e de encarar a vida. Confesso que nunca conseguirei chegar ao ponto de "acto de destralhar" muito descrito pela Rita, mas acho que existem boas aprendizagens a fazer da leitura deste blog.

As nossas vidas muito atarefadas fazem com que andemos sempre de um lado para o outro e, muitas vezes e quando o dia termina, chegamos à conclusão de que produzimos muito pouco e que mais foi o tempo perdido em pequenas tarefas sem grande valor acrescentado do que aquele dedicado à verdadeira produção de algo. Quantos de nós não passamos a atender o telefone no local de trabalho ou a receber emails que apenas nos fazem distrair daquilo que é verdadeiramente importante? Muitas vezes estou na minha secretária, no local de trabalho ou em casa, e fico a pensar que a quantidade de emails que se recebem é uma coisa estúpida. Mais... Muitos deles poderiam ser, por nós próprios, considerados spam dado que apenas nos limitamos a fazer delete sem tomar qualquer acção sobre eles porque não são importantes ou relevantes para nós... Ou porque simplesmente o assunto desses emails nada nos dizem respeito apesar de chegarem à nossa caixa de correio. Estava eu, em mais uma leitura do blog da Rita, e encontrei este interessante post em que ela descreve a forma como faz o processamento de toda e qualquer informação que lhe chega. E aqui está algo que tento sempre fazer no meu dia-a-dia, seja no campo pessoal ou no campo profissional. Não consigo compreender aquelas pessoas que ficam com emails a "marinar" nas suas caixas de correio. Não falo daqueles emails triviais cuja resposta pode ficar para mais tarde. Estou mesmo a referir-me a emails que necessitam de atenção dedicada e resposta em tempo. Não sei o que acontece convosco no vosso local de trabalho mas no meu (e isso não acontece tão poucas vezes quanto isso...), muitos são os emails com data de resposta determinada que não são respondidos em tempo. E isso faz-me muita confusão, a sério que sim! Que raio de cultura é esta que as pessoas têm de acharem, apenas porque sim, que as respostas que lhes são solicitadas podem ficar para mais tarde e não merecem a sua atenção? Eu gosto de cumprir prazos. Aliás, até gosto de responder às solicitações antes do prazo finalizar, exactamente para que, caso alguma coisa corra mal, ainda tenha um tempo de margem que me permita "não ficar mal na fotografia" e cumprir com aquilo que me é solicitado.

Acho que existem muitas pessoas, por esse mundo laboral fora, que precisavam e muito de ler os posts da Rita... Mas isto é apenas um momento de desabafos e mau feitio aqui da Miss Fiona...

sábado, novembro 09, 2013

Do...

... exercício, ginásios, prática desportiva e afins...

Podemos ser mais ou menos distraídos, mais ou menos atentos... Mas uma coisa é certa: os portugueses estão cada vez mais preocupados com o seu bem-estar e a sua forma física e isso vê-se, seja nos ginásios ou nas ruas onde cada vez mais pessoas utilizam para a prática desportiva. Basta passar um dia de manhã pelo Jamor ou por Monsanto e muitos são os corredores e os ciclistas que podemos encontrar a fazer os seus treinos. E engane-se quem pensar que isto acontece apenas ao fim-de-semana... É ver. em qualquer dia da semana, muitas pessoas dedicadas à prática do seu desporto favorito (ou pelo menos aquele que conseguem praticar de forma mais regular). Aliás, para os mais curiosos e amantes de corrida, existem uns treinos que ocorrem algures em Monsanto e que têm o simpático nome de "hora do esquilo" e que são treinos de corrida que começam lá para as 6h da manhã! Gosto desta preocupação e de não ser uma das poucas do grupo de amigos ou de colegas do trabalho que me dedico ao desporto.

Mas o verdadeiro assunto deste post prende-se com os ginásios. Em tempos de crise, muitas têm sido as pessoas que têm deixado de frequentar estes locais que antes faziam parte das suas rotinas. As mensalidades não são propriamente "preço de amigo", existem os famosos períodos de fidelização, entre outros detalhes. Porém, nem todos conseguimos fugir destes locais. Eu, por exemplo, mesmo que queria preciso de andar no ginásio fruto das necessidades de fortalecimento muscular específico nos joelhos e que não consigo fazer da melhor forma em casa ou na rua. São exercícios específicos em que necessito de recorrer às máquinas que existem nos ginásios e não tenho mesmo outra forma (sei que existem algumas possibilidades recorrendo a esquemas de exercícios que não são feitos neste tipo de equipamentos mas, o que é certo, é que sinto uma clara diferença na prática de exercício físico quando dedico algum tempo cuidado ao fortalecimento muscular). Pois bem, fora o ginásio ainda pratico corrida regularmente e o meu objectivo no ginásio está longe de ser o de emagrecer ou objectivos afins. Atenção, não estou aqui a questionar quem anda no ginásio com esse objectivo. Aliás, considero que seja mesmo de louvar e tudo o que podermos fazer pela nossa saúde é pouco e aplaudo quem o faço. O que quero dizer é que apenas me dedico ao fortalecimento muscular e consigo treinar bem sozinha...

Por isso, senhores PT que andam em buscar de vender os vossos pacotes de treinos... Compreendo que estejam a fazer o vosso trabalho, que vos estabeleçam objectivos individuais enquanto colaboradores de um ginásio mas... Eu não sou um bom alvo... Estou muito longe disso. Consigo e gosto muito de treinar sozinha e consigo ter resultados assim. Conheço-me muito bem e sou bastante teimosa quando quero chegar a algum lado e estabeleço objectivos para mim própria. Por isso tentarem impingir-me a toda a força pacotes de treinos de 60 minutos pela módica quantia de 653€... Nop, estou muito, muito longe de ser a vossa cliente ideal. Portanto, nem sequer tentem!

A gerência agradece...

domingo, novembro 03, 2013

Sabem...

... uma das coisas que mais me faz sorrir? Ver aqueles que falam a nossa língua serem distinguidos ao mais alto nível. Desta vez (e em mais uma ocasião!), foi reconhecido o grande talento da pena de Mia Couto, biológo e jornalista moçambicano, que tantas belas palavras dá ao mundo todos os dias. Muitos parabéns, Mia, por teres recebido o Prémio internacional de literatura Neustad, considerado, por muitos, como o Prémio Nobel norte-americano.


terça-feira, outubro 29, 2013

A...

... teoria do frasco de mel e das abelhas...

Ou de como uma analogia consegue explicar, na íntegra, a atracção que o sexo oposto pode exercer sobre nós... 

Existem pessoas que, não sabemos muito bem porquê, nos despertam a atenção desde o primeiro dia em que lhes colocamos a vista em cima. Têm aquele je ne sais quoi que nos faz observá-las discretamente quando nos cruzamos com elas, por exemplo, no mesmo espaço para almoçar. Pior, esse je ne sais quoi faz-nos, vezes sem conta, observar os pequenos detalhes que escondem, os pequenos movimentos de cabeça, a forma de estar, mesmo que o façamos inconscientemente. Por vezes, cruzamo-nos com pessoas que, não sendo verdadeiros deuses gregos da beleza ou as mais belas musas inspiradoras, conseguem desviar olhares apenas porque sim. E existem muitas vezes pessoas que tendem a concentrar mais olhares do que as demais apenas pela forma de estar e pela forma como entram numa sala...

E é aqui que entra a teoria do frasco de mel e das abelhas... Normalmente, onde existe mel existem abelhas (ou vice-versa, pronto!). E, normalmente, um número elevado de abelhas indicia que existe a probabilidade de existir uma grande quantidade de mel... Trata-se de uma relação matemática inequívoca de relação directa que não se consegue refutar de forma alguma! E não será assim mesmo nas atracções? Não funcionará o mel como o elemento fulcral para nos tornar abelhinhas que não conseguimos abandonar um certo frasco deste precioso líquido? Não será este mel aquele je ne sais quoi que nos atrai em determinada pessoa e que nos faz observá-la? Não será este mel, no fundo, o sex appeal, o charme, que determinadas pessoas vão deixando como rasto no ar e que nos faz não desviar o olhar?

Estas coisas de atracções e de olhares furtivos à hora do almoço tem muito que se lhe diga... Porque o mel e as abelhas tendem a encontrar-se inevitavelmente...

domingo, outubro 27, 2013

Muitos...

... dos que lêem este cantinho sabem que eu sou uma amante das corridas. Muitas são as provas em que participo durante o ano (cujos relatos podem ler no blog Corre mais rápido caso tenham curiosidade). Quando comecei nesta coisas das corridas, no ano de 2008, nunca pensei que fosse ganhar tanto gosto por correr nem muito menos chegar até onde cheguei hoje. Muitas já foram as dificuldades ultrapassadas, muitos já foram os objectivos alcançados (um deles, e o que tem o sabor mais especial, foi voltar a participar numa prova oficial exactamente um ano após ter sido operada ao joelho) e muitos são aqueles que se desenham no meu horizonte. Já acumulo três meias maratonas no "currículo" (todas feitas este ano!), provas de 10 km já perdi a conta e a maratona é, claramente, um sonho que também se quer ver alcançado.

Mas o verdadeiro motivo pelo qual escrevo este post não tem propriamente a ver com os meus devaneios desportivos (esses deixo para o Corre mais rápido). Aquilo que me faz escrever aqui hoje é o excelente ambiente que se vive entre corredores nas provas. A palavra de incentivo que está sempre presente quando afracamos e passa alguém por nós que não nos quer ver desistir mesmo não nos conhecendo de lado nenhum. As palmas que os corredores batem aqueles que já vão na frente da corrida e com quem nos cruzamos. O gosto de ser a lebre de alguém mesmo que não a conheçamos bem (nunca me vou esquecer o que foi estar lado a lado com uma corredora do grupo desportivo do BES na Corrida das Fogueiras em Peniche este ano). É estar-se lá de uma forma despreocupada. É ajudarmos quem precisa mesmo sabendo que podemos não conhecer essa pessoa de lado nenhum. Os valores que os corredores partilham numa prova deveriam ser aqueles partilhados por uma sociedade enquanto um todo. Aquilo que somos e aprendemos a ser na estrada ou nos trilhos acabamos por transportar para as nossas vidas pessoais e profissionais e tenho a certeza de que nos tornamos pessoas muito melhores. É este espírito que eu tenho gosto de partilhar quando corro. É esta animação e esta boa disposição que está presente mesmo quando parece que as pernas vão falhar. Os corredores ajudam-se apenas porque sim. Os corredores sorriem aos desconhecidos apenas porque sim. Os corredores partilham vitórias lado a lado com desconhecidos apenas porque sim.

E deveria ser assim todos os dias na vida para lá dos ténis... Porque, de certeza, seríamos muito melhores cidadãos e pessoas muito mais completas enquanto seres humanos...

E...

... estas palavras poderiam ser minhas...
Há coisas que são só nossas. Tempos em que ninguém intervém. Pensamentos que ninguém entende. Sorrisos cúmplices que ambos trocamos. Olhares, aos outros, intraduzíveis. Amores que não se explicam e saudades que se calam.
Há coisas que são mesmo só nossas. Que ninguém tem de saber.

É engraçado quando se lêem determinados textos e parecem que foram escritos por nós. É impressionante o quanto determijnadas palavras parecem brotadas dos nossos dedos e da nossa alma enquanto escrevemos. É arrepiante ler coisas assim, que fazem tanto sentido e que parecem que saíram do fundo do meu pensamento...

É assustador... E subscrevo-as. Na íntegra...

sábado, outubro 26, 2013

Sábado...

... bem cedo. Provavelmente, ainda meia cidade deve estar a dormir (a outra meia está a preparar-se para trabalhar pois muitos são aqueles para quem o fim-de-semana significa trabalho). Lá fora ainda é de noite. Alguns já andam mais ou menos em estado zombie pelas suas cozinhas a preparar o pequeno-almoço. E que faço eu? Já estou em frente ao computador a trabalhar. Sempre ouvi dizer que o que tem de ser tem muita força e hoje é assim comigo. Tem de ser assim comigo. Porque aquilo que se ambiciona como evolução também "nos sai do pêlo". Porque se queremos muito uma coisa há que sacrificar outras... Como as horas de sonho ou de ronha na cama pela manhã. E como eu sou daquelas pessoas que funciona muito melhor a trabalhar de manhã do que pela noite fora... Há que aproveitar a inspiração matinal e escrever aquilo que existe para escrever, ler aquilo que tem de ser lido... E sonhar... Porque os frutos desta dedicação também trazem um sonho com ela... E isso é sempre muito bom!

Tenham um excelente sábado!

sexta-feira, outubro 25, 2013

Hoje...


... apetece-me esta. Tenham uma excelente 6ª feira! E lembrem-se... Nada é motivo para vos fazer desistir nunca!

quarta-feira, outubro 23, 2013

Começa...


... hoje a contagem decrescente para o dia em que se vai concretizar um sonho. Algo que já se acalenta há algum tempo e que, num dia desenfreado pincelado com uma dose de loucura, se decidiu avançar. Wish me luck!!! Para esta fase que antecede e para o grande dia!!

terça-feira, outubro 22, 2013

Existem...

... momentos que nos preenchem e que nos aconchegam a alma. Existem momentos que nos fazem sorrir e nos fazer sentir realizados enquanto profissionais e enquanto pessoas. Existem momentos que nos aquecem o coração e que nos mostram de que somos capazes e que somos reconhecidos.

E hoje tive um momento assim... Um turbilhão de momentos assim! Foi dia de regressar a uma casa de que gosto muito, onde cresci muito como pessoa e onde tive ainda mais certeza da paixão e do sonho que, felizmente, se veio a concretizar. Foi um dia de muitos sorrisos alegres e um dia em que muitas conversas mostraram que as pessoas são capazes de reconhecer aquilo que somos e que tentamos fazer de forma consistente. Fez-me ver que existem pessoas que conseguem reconhecer a imagem e a forma de estar que se tenta transmitir. Fez-me ver que existem pessoas que são capazes de se abstrair de determinadas condicionantes e que conseguem ver aquilo que verdadeiramente valemos. Fez-me ver que existem boas amizades criadas, boas relações que ficam e que, ainda que não o seja completamente, que é possível pertencer a um pequeno "gang" que marca pela diferença positiva. É uma pequena realidade e um pequeno mundo à parte? Sim, é bem verdade que é... Mas é um pequeno mundo a que sabe muito, muito bem voltar!

Fez-me sentir em casa... E ter muitas saudades de voltar aquelas paredes que tantas histórias e tantas emoções escondem... E que tantas boas recordações me trazem...

segunda-feira, outubro 21, 2013

E...

... o que se faz aqui deste lado? Tenta-se lidar da melhor forma com a quantidade de solicitações que surgem de todos os lados. Ele é apresentações em powerpoint, ele é sebentas para preparar, ele é aulinhas para estruturar, ele é documentos que têm de ser revistos... Eu sei lá... Mas Miss Fiona tenta que a energia e a boa disposição não desapareçam a bem de ter uma secretária sempre bem organizada!

domingo, outubro 20, 2013

Temos...

... momentos em que olhamos mais em nosso redor. Temos momentos em que somos mais atentos. Temos momentos em que o nosso olhar é mais penetrante em toda a realidade que nos rodeia. 

Tenho dias em que penso mais no passar dos anos. Tenho dias em que me preocupa mais o avançar da idade. Tenho dias em que me preocupa mais a chegada de uma solidão a que não se consiga dar volta e que passe a pincelar os dias de forma inegável. Tenho dias em que as emoções estão mais à flor da pele e em que desejo ser de novo uma menina de cinco anos que se aninha do colo da mãe.

Existem momentos que nos preenchem a alma e nos lavam das tristezas. Existem momentos que nos aquecem o coração de uma forma inegável e que nos fazem acreditar "sim, é possível!". Existem momentos que nos deixam a alma pincelada de dúvidas. Existem momentos que nos mostram que somos muito mais fortes do que pensamos e que somos capazes de ir muito mais longe do que poderíamos imaginar.

Preocupa-me a fragilidade das pessoas que amo. Preocupam-me as dificuldades do dia-a-dia. Preocupa-me não poder realizar todos os sonhos, os meus e os das minhas pessoas. Preocupa-me poder chegar um dia e pensar que não vivi tudo aquilo que deveria ter vivido.

Preocupa-me o avançar dos anos... A solidão... E a fragilidade das pessoas...

terça-feira, outubro 01, 2013

Sou...

... só eu a estar irritada com este tempo de chuva mas com um pouco de calor que nos deixa com a roupa colada ao corpo? Blargh é a única palavra que me assiste!!

domingo, setembro 29, 2013

Faz-me...

... confusão muitas coisas que se passam neste nosso mundo. Fazem-me confusão as pessoas que apenas conseguem pensar em ver o mal dos outros, em desejar o mal dos outros e que apenas sorriem quando os outros estão mal. Faz-me confusão aquelas pessoas que tudo fazem para deitar os que os rodeiam abaixo com o intuito de conseguirem sobressair no meio da multidão. Faz-me confusão a falta de cidadania, de educação e de respeito com que nos deparamos diariamente nas mais diversas situações. Faz-me confusão a falta de respeito por idosos e por crianças, aqueles que mais atenção deveriam receber de todos. Faz-me confusão a falta de respeito pela vida dos animais que todos os dias são colocados de parte em algum lugar. Faz-me confusão o desejo exacerbado de se ir mais longe, sem olhar a meios e sem olhar a que está em volta. Faz-me confusão esta necessidade enorme de consumismo que deixa cair por terra os valores que são mais importantes e que deveriam ser passados diariamente aos mais novos pois eles são o nosso futuro...

Tenho dias em que fico triste com o que vejo ao meu redor. Fico triste por tantas pessoas se acharem as melhores do mundo e não conseguirem deitar fora o rei que têm na barriga e se limitarem a existir e a viver as suas vidas sem esta necessidade de pisar que os rodeia. Fico triste por tantos idosos viverem sozinhos em casa recheadas de solidão em que familiares, vizinhos ou conhecidos se recusam a entrar, justificando-se comas vidas atarefadas e muito ocupadas que não deixam lugar para preservar o mais importante. Fico triste por tantas crianças chegarem da escola ao final do dia e não terem um colo onde se sentar a contar as tropelias da escola, não terem uma mão carinhosa que as auxilie a melhorar a caligrafia, não terem uma voz de amor de quem ouvir uma história ao deitar...

Fico triste e faz-me confusão esta sociedade que se limita a viver a mil à hora sem olharem para aquilo que vão deixando em bocados na estrada e que é o que têm de mais importante...

quinta-feira, setembro 19, 2013

Sabes?...

... existem coisas que são tal e qual como são. Podemos dar as voltas que quisermos, podemos tentar recuar vezes sem conta, podemos passar para o outro lado da rua... Podemos fazer de tudo. Mas, mais tarde ou mais cedo, vamos acabar por ceder. Toda a força do mundo conspirar a favor... Pode conspirar contra... Pode fazer tudo, pode fazer nada. Mas, mais cedo ou mais tarde, vai acabar por acontecer. Podemos lutar? Sim, podemos! Com todas as forças do nosso corpo. Com as que temos cá dentro e com as que vamos arranjar sabemos lá onde... Mas há que lutar... Ou há que chegar mais perto? 

Quando existem coisas que se vão guardando durante tanto e tanto tempo... Mais cedo ou mais tarde o copo acaba por transbordar sob a forma de um turbilhão impossível de parar. Impossível de deixar passar...

quarta-feira, setembro 18, 2013

Porque...


... não existe nada melhor iniciar o dia do que com música, esta é a minha escolhida para o dia de hoje.

Um bom dia para todos!!!

segunda-feira, setembro 16, 2013

Cada...

... vez que leio as palavras desta página, parece que fui eu que as escrevi...


Eu sei e tu sabes. O resto não importa. Ambos sabemos o que somos. O que fomos e o que seremos.
Eu sei e tu sabes. O Mundo não interessa. Ambos sabemos a falta que nos fazemos. Que fizemos e faremos.
Eu sei e tu sabes. Aquilo que realmente conta. Aquilo que ambos passamos. E que passámos. 
Eu sei e tu sabes. Que tudo vai correr bem. Que tudo se dissipa e acalma. Que tudo se relativiza. Que temos um sorriso guardado para nós.
Ninguém sabe. Só eu e tu.


sábado, setembro 14, 2013

Hoje...


Verniz Kiko nº. 360

... ando assim. Nota-se muito que é fim-de-semana?

quarta-feira, setembro 11, 2013

Never...

... forget...

É...

... impressionante o poder que a motivação tem no nosso organismo. Quando nos sentimentos motivados ou realizados, seja no campo profissional ou campo pessoal, a forma como encaramos as actividades que temos para fazer no nosso dia-a-dia é totalmente diferente quando não nos sentimentos preenchidos. 
E isto que eu tenho constatado nos últimos tempos... O facto de me sentir mais motivada tem-me dado um ânimo completamente diferente para ir ao ginásio (ui... ao olhar ontem para a folha de treino em que devem ser preenchidas as presenças até me assustei dadas as poucas vezes que lá tenho ido!), para correr e para fazer todas aquelas pequenas coisas que é suposto ser feitas.

Gosto de me sentir assim. Gosto muito de me sentir assim e espero que assim continue!

domingo, setembro 08, 2013

Há...

... dias que me dá para isto e o Domingo pede escolhas simples.



Parecem...

... palavras, mais uma vez, escritas por mim.


Há dias em que sou o diabo. Outros em que sou o anjo. Há dias e em que consigo ser ambas. Ao mesmo tempo! 
Há dias em que o meu diabo precisa da protecção do teu anjo. Ou em que gosta de o desencaminhar. 
Dias em que o meu anjo acalma o teu diabo. Em que quer ser tentado por ele. 
Os nossos anjos reconhecem os nossos diabos. Gostam todos de brincar uns com os outros. 
Diz que é a compatibilidade perfeita.
Frase e imagem da página Gosto de ti e então?

sábado, setembro 07, 2013

Deveria...


... ser proibido estar no local de trabalho já a esta hora...

E...


... quando o dia de trabalho começa bem cedo, opta-se por ouvir daquelas músicas que transmitem energia positiva. 

Tenham um excelente sábado!

quinta-feira, setembro 05, 2013

Mais...

... um dia que passa. Mais uma notícia menos boa que se recebe... Mais uma pessoa jovem que parte vítima de cancro. Aperta-me o coração sempre que ouço esta palavra. Tão carregada de dificuldade, de dor, de dias menos bons, de barreiras, de lágrimas e de vidas perdidas cedo demais. Mais uma pessoa que parte antes de dar tudo aquilo que poderia ter dado. Mais uma pessoa que deixa um lugar vazio numa casa, numa família, entre os seus amigos e entre com quem ele trabalhou... 

E mais uma vez o meu pensamento viaja até três estrelinhas que estão no céu e que partiram cedo demais por causa desta doença. O meu avô, que infelizmente não cheguei a conhecer. A minha avó, que partiu no ano em que eu fiz 15 anos e que marcou essa data. E tu, meu querido R., que partiste cedo demais com os teus curtos 30 anos. 

Do meu avô não tenho recordações mas dizem-me que tenho as minhas parecenças com ele. Da minha avó, tenho as recordações de belas férias de verão passadas no Alentejo, recheadas de muitas e deliciosas descobertas, bons docinhos e belas gargalhadas. Do meu R., tenho a recordação e a saudade da bela gargalhada, do ombro amigo e do porto de abrigo sempre pronto para receber que mais dele precisava.

Olhem por mim, minhas estrelinhas... Até sempre!

terça-feira, setembro 03, 2013

Quantas...

... vezes não vos aconteceu depararem-se com palavras que parecem mesmo escrita por vocês?

Poucos entendem o meu silêncio. Muito poucos percebem o que ele quer dizer. E gosto que assim seja: que apenas aqueles que me conhecem no mais profundo de mim me consigam ler a alma. Que se esqueçam do sorriso que trago e descortinem o pensar que escondo. 
Mesmo quando calada, sabes ou não o que penso?

So, so me...

Palavras da página do Facebook Gosto de ti e então?

sábado, agosto 31, 2013

Estas...

... férias de verão foram realmente produtivas no que toca a leituras. Pelas minhas contas, foram três livros que consegui ler e que bem me soube alimentar esta minha paixão. E hoje venho falar-vos de mais um desses livros que li nestas férias. Chama-se "O Império dos Homens Bons" e é do Tiago Rebelo.


Este livro foi uma aquisição feita na Feira do Livro deste ano, onde tive oportunidade de estar um pouco à conversa com o autor, ter a oportunidade de ter este livro autografado e saber que o Tiago Rebelo é um escritor preocupado em saber o que os seus leitores acham das suas obras, gosta de saber que livros já conhecemos e gosta de receber o nosso feedback (pediu-me mesmo que lhe escrevesse um e-mail quando terminasse a leitura e que irei fazer em breve).

A obra é passada em Moçambique, em meados do século XIX, e retrata a vida de um antepassado do escritor, o Padre Montanha. Homem de fé mas que sucumbiu aos amores de uma negra de quem teve dois filhos e que amou sempre, ainda que em mais ou menos em segredo para o seu rebanho. Retrata também a viagem de uma vida através das paragens deste país habitado por diversas tribos, umas mais amigas do que outras. Retrata também os interesses e as desavenças vividas nas nossas colónias durante o século XIX e em que, muitas vezes, se confundiam os interesses pessoais com os da Coroa (afinal... tantos anos passados... a realidade não continua a ser a mesma?).

É um livro que aconselho a leitura. Permite-nos compreender um pouco melhor o que era a realidade das nossas ex-colónias dado que alia um romance a pesquisa histórica. Para quem não sabe, Tiago Rebelo tem uma outra obra em que retrata a história de mais um dos seus antepassados. Trata-se de "O Tempo dos Amores Perfeitos", cuja história se desenrola em Angola, no final do século XIX, e em que ficamos a conhecer a história do Tenente Montanha, oficial do Exército que se deixa apaixonar pela filha do governador. Mais um belo romance com boa pesquisa histórica.

Aqui ficam duas boas sugestões de leituras e de um autor português, o que é sempre bom!

quinta-feira, agosto 29, 2013

Todos...

... nós temos fases menos boas. Fases em que parece que as nuvens teimam em nunca mais desaparecer do nosso horizonte, fases em que parece que à tempestade sucede sempre mais tempestade e nunca mais chega a bonança e o nosso porto de abrigo. São fases em que não somos nós próprios. Em que o nosso sorriso não brilha como um farol no meio da noite. Em que os nossos olhos se podem revelar como os nossos maiores traidores ao mostrarem as nuvens que nos ensombram o pensamento... 

Todos nós temos fases em que nos tornamos insuportáveis para outros... E até a nós próprios não nos suportamos. A vontade para fazer o que quer que seja desaparece... Tudo se ressente. As nossas relações, o nosso trabalho, o nosso lazer, os nosso hobbies. Tudo fica afectado... 

Por estes dias anda-se assim aqui deste lado... Tudo parece mover-se à velocidade de um caracol. Sinto-me mais insuportável, mais chata, mais tudo o que há de menos bom... Sinto o meu mau feitio lá nos píncaros e parece que já nem correr me consegue limpar a mente. E as pessoas que me estão mais próximas é que acabam por também levar mais facilmente com este meu mau feitio e isso não ajuda nada. Mesmo nada....

segunda-feira, agosto 26, 2013

25 anos...


... 25 anos passados desde que Carlos Paião partiu e ficou a fazer tanta falta por cá... Como pessoa e como músico. 25 anos passados desde o incêndio do Chiado. Que Verão aquele de 1988 que, em dois dias seguidos, as notícias nos fizeram entristecer.

Aqui fica a recordação... Com uma das minhas músicas preferidas do Carlos Paião...

É...

... engraçado como a vida é capaz de nos surpreender. Como é capaz de nos fazer questionar... A vida tem destas surpresas. Tem esta capacidade de nos mostrar que afinal não vale a pena fugir, recuar, fazer de conta que não... Não vale a pena. A sério que não vale. Porque as pessoas que ganham lugares especiais nas nossas vidas podem estar mesmo ao virar da esquina e nós não nos darmos conta...

domingo, agosto 25, 2013

Mais...

... uma semana que passa, mais uma dica de livros que aparece por aqui. Desta feita, trata-se de um dos meus escritores preferidos, Craig Russell. 


Conhecia este autor de obras como Eterno ou O Irmão Grimm, obras em que a história se desenrolava sempre em torno dos crimes de diferentes serial killers. É claro que não é um tema que agrada a todas as pessoas, mas este Craig Russell tem um especial dom para escrever policiais. E, para quem não conhece, recomendo mesmo uma deambulação mais atenta na próxima ida à livraria pois as obras dele são bastante interessantes e conseguem mesmo prender-nos à história do princípio ao fim.
Este livro, Lennox, surge como o primeiro de uma nova série de livros do autor e conta a história de Lennox, um detective que habita na cidade de Glasgow, nos anos 50 do século passado, e que se vê a mãos com uma série de mortes em que todos os indícios indicam que ele esteja envolvido e que seja mesmo o responsável. Mostra uma realidade de Glasgow dura e marcada pelos gangs de criminosos, pela chantagem e por formas menos ortodoxas de conseguir o que se deseja. De qualquer forma, é mais um excelente policial que nos prende e que nos faz tentar compreender o que se esconde por detrás da trama que se vai desenrolando diante dos nossos olhos. Levando a uma grande surpresa no final...

sábado, agosto 24, 2013

Oh...


... senhores, anda uma pessoa a divagar pelos sites de roupinhas e acessórios por essa internet fora e depois depara-se com coisinhas assim, mimosas que só elas, que fariam maravilhas num qualquer look de Outono. Eu sei que está calor e essas coisas todas... Mas que estes brincos me ficavam bem, lá isso ficavam. Será que ainda é muito cedo para irem para a wishlist?

E...

... que Verão negro tem estado a ser este para os nossos Bombeiros...


Agradecer parece tão pouco diante de todo o vosso esforço diário...

quinta-feira, agosto 22, 2013

Tenho...

... momentos em que sinto que me falta qualquer coisa. Algo que me preencha, que me faça ter vontade, que me faça sorrir... E ando assim por estes dias...

quarta-feira, agosto 21, 2013

A...


... sério que é assim? Bolas que ainda não me tinha dado conta... Oh meu anjo adorado que tomas conta dos meus sonhos, fica descansado que vou estar muito mais atenta e não vou desistir dos meus sonhos. Está prometido!

terça-feira, agosto 20, 2013

Férias...


Verniz ANDREIA cor 43

...férias que são férias, para mim, significam emancipação das minhas unhas! Leia-se... Passam a modo cor e isso sabe tão bem. E agora estou novamente em modo vermelhinho.

Bom dia...



... meus queridos leitores!!

segunda-feira, agosto 19, 2013

O...

... que seria das nossas vidas se não sonhássemos, desejássemos, projectássemos coisas para o nosso futuro? O que seria das nossas vidas se não tivéssemos vontade de fazer mais e melhor, de querer ir mais longe e de nos superar? Pois bem... E o que seria de nós nestes momentos se não pudéssemos desfrutar do apoio de pessoas que se preocupam connosco, que nos querem ver realizadas como pessoas e que gostam de ver o nosso sorriso, acima de tudo? 

Pois bem... Quando criei este blog estava bem longe de pensar que ele iria durar tanto tempo. Estava bem longe de pensar que iria aguentar tanto tempo por esta blogosfera, que iria ter tantos blogs adorados e de visita obrigatória e que me ajudam a pincelar o meu dia com sorrisos. Estava muito longe de pensar que estaria por aqui há já mais de oito anos e que a vontade de aqui continuar continuasse presente como no dia em que escrevi as primeiras palavras. E quem me haveria a mim de dizer que neste tempo decorrido desde as primeiras palavras escritas neste cantinho, tantas coisas e tantas emoções teria partilhado. E que receberia o apoio desse lado aí de quem me lê para ter vontade de ir mais longe e de querer concretizar os meus sonhos. 

Sei bem que todos nós temos as nossas pessoas de carne e osso, aquelas com quem estamos todos os dias, que nos conhecem melhor do que ninguém e que não precisam de ler as nossas palavras para saberem como estamos pois têm o privilégio de ler nos nossos olhos e comprovar in loco as nossas emoções, alegrias e dificuldades porque essas também existem. Essas estão presentes e o lugar ocupado é mais do que especial! Mas não posso deixar de ter um cantinho para as pessoas com quem fui contactando nesta blogosfera, visitantes mais ou menos assíduos, comentadores mais ou menos assíduos, mas que me conhecem neste lado da escrita e que se conseguem também aperceber de algumas coisas de mim, fruto do que vou revelando a cada post.

E é por isso que sabe tão bem, quando vamos desvendando alguns dos nossos sonhos, ter-vos desse lado e sentir uma força enorme que me impele a ir mais além... Obrigada!

domingo, agosto 18, 2013

Mulher...

RITUALS Creme corporal ultranutritivo e fresco Magic Touch

... que é mulher gosta muito de ler sobre as novidades que vão aparecendo no mundo encantado dos cremes e afins. Algo que gosto particularmente de ler são as opiniões de outras pessoas sobre os produtos que vão usando. Bem sei que cada pele é uma pele e o que resulta com uma pessoa pode não resultar com outra mas... Gosto muito de ir lendo essas partilhas. E um dos blogs que normalmente acompanho é o da sfozi com o seu Bola de Sabão. E se por lá os produtos vão sendo terminados e as partilhas feitas, por aqui acontece exactamente o mesmo...

Fã confessa que sou da Rituals, quando o tempo começou a aquecer lá fui eu em excursão até à loja mais próxima em busca de um novo aroma que me fizesse companhia nas minhas manhãs e o escolhido foi este Magic Touch. Quando o experimentei na loja gostei bastante do aroma mas, depois de o usar algum tempo e com a temperatura a subir confesso que não fiquei fã. Pensei que este aroma se tornasse mais fresco na pele mas isso não se passa comigo. Aliás, até parece que fico com a ligeira sensação de que a pele aquece. Estranho... Quanto a textura e a hidratação o creme cumpre exactamente aquilo a que se propõe e a pele fica bem suave e a hidratada. O único senão mesmo é o aroma...

Se vou voltar a comprar? Provavelmente não mas apenas e tão só por causa do aroma... De resto acho o creme mesmo fantástico e dá mesmo conforto à pele. Qual o aroma que se segue?